quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Voo 3485 BOAS FESTAS (12)




José Teixeira
Esp.OPC
Trofa

Meu comandante VICTOR BARATA

Tenho sido muito pouco assíduo a nosso blog dos especialistas da BA12, mas isso não significa menor apreço por tal Blog; muito pelo contrário.
Ao longo dos últimos anos tens sido um importante impulsionador da causa Especialista. (E não fazes parte dos O.S. da AEFA!)
E não só pelo Blog.
O presidente da AEFA(associação de especialistas da Força Aérea, para os mais distraídos), nosso companheiro OMETEO Paulo Castro, refere na sua última crónica inserida no SITE, a enorme dinâmica que tem acontecido em relação a quantidade de convívios um pouco por todo o país, o que significa que o espírito Especialista continua vivo e de boa saúde.
A outra prova, que eu saiba, também da tua inquestionável dedicação à causa, acontece na «cidade de SERPINS», onde anualmente, para quem não sabe, consegues reunir uma enorme quantidade de especiais que merecem estar, incluindo a presença de oficiais, onde predomina uma enorme «banheira» para assar um bicho que vai deliciar os estômagos, tudo a custo Zero! E ainda um camião térmico a trabalhar toda a tarde, para quem quiser adquir a famosa «água de serpins» fresca. 
Haverá outras iniciativas que fomentas, mas fica para o próximo epísódio( não novela!) a sua revelação, como o espaço museológico que criaste na tua região.
E para terminar que atinjas em 2018 os graus de felicidade que desejas.

José Teixeira( opc 2ª/67) 


sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Voo 3484 BOAS FESTAS (11)





Carlos Robalo
Esp.MMA
Lisboa



A todos os companheiros especialistas da B.A.12,  um Santo Natal e que o Ano de 2018 , lhes traga tudo o que desejam , amor ,paz e saúde.. São os votos de Carlos Robalo

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Voo 3483 TUDO DEVO Á GRANDE FAMÍLIA FAP.




João Vidal
Fur.Mil.Pil
Lisboa







Em 2018 vão completar-se 50 anos que, com 18 anos, ingressei na FAP e iniciei a minha carreira de 40 anos como piloto, tendo completado mais de 21.500 horas de voo e realizado quase todos os meus sonhos profissionais. Tudo devo à Grande Família que é a Força Aérea Portuguesa, que me ensinou os primeiros passos do “caminho”. Estou e estarei eternamente grato.

Voo 3482 CANTA-SE O FADO!



João Bandeira
Fur.Mil.Pil.
Faro


Bar de Pilotos - GO1201-BA12.Bissalanca
"Fadistas de serviço"!...

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Voo 3481 BOAS FESTAS (10)




Mário Aguiar
Esp. MARME
V.N.Gaia


Voo 3480 BOAS FESTAS (9)




Giselda e Miguel Pessoa
Sarg.Enfª Pqª/ Cor.Pilav
Lisboa











Com votos de Festas Felizes para todos os Zés Esoeciais e respectivas famílias.

Giselda e Miguel Pessoa

Voo 3479 BOAS FESTAS (8)





Victor Sotero
Sar.Môr EABT
Lisboa

Ao Comando, à linha da Frente e a todos os "Zés" que por aqui nos vão visitando, os meus votos de Feliz Natal e Bom Ano Novo.

Voo 3478 BOAS FESTAS (7)




Luís Henrique
Esp.OPC
Vancouver
Canadá


Para todos os amigos especialistas da FAP e famílias,desejo um Feliz Natal e um Prospero Ano Novo,um abraço para todos.

Voo 3477 BOAS FESTAS (6)



Luís Martins
Esp.MMA
Ferreira do Alentejo


Natal é tempo de comemorar a vida, espalhar o amor e semear a
esperança, desejo a todos os camaradas ESPECIALISTAS e seus
familiares, um Santo e Felíz Natal e um Excelente Novo Ano de 2018.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Voo 3476 BOAS FESTAS (5)




Francisco Serrano
Esp.MMA
Lisboa

Para todos os meus amigos e amigas e nossos familiares vos desejo festas felizes com muita saúde paz e amor.
Para todos e em especial os meus irmãos e camaradas de armas, aqui ficam algumas memórias de um mecânico de Helicópteros no planalto dos Macondes em 71/72 Moçambique Muéda.

Cheguei a Muéda
Num dia cinzento
Um pouco assustado
Pois já em Nampula
Do que ia encontrar
Eu fui avisado
Ía para a terra
Onde se vivia
No fio da navalha
Era a lei da guerra
Marcada com sangue
Com fogo e metralha
Tinha uma placa
Que a todos dizia
Como era a vida naquele lugar
Manter sangue frio
E alguma coragem
Sempre vigilantes não desanimar
MUÉDA TERRA DA GUERRA, AQUI TRABALHASE LUTASE E MORRESE
Os dias passavam
Num labor constante
E alerta total
Mas com confiança
Em todo o À.M.
E no seu pessoal
Naquela placa
Ali se cruzavam
Homens e aviões
Fazendo preparos
Pra que nada falhe
Nas suas missões
Sem poupar esforços
Pra salvar alguém
Em qualquer local
Fosse na picada
Em pleno mato
Nangade ou Ságal
Nem sempre assim foi
E alguns que partiram
Já não regressaram
Às vezes tentando
Salvar outras vidas
E ali tombaram
E ao chegar a noite
Pra esquecer momentos
Do dia passado
O Jorginho tocava
Na sua viola
Pra cantar o fado
E alguém perguntava :
Afinal de contas no meio desta malta
Quem é que tem voz ?
Logo o Vira Milho
Com seu ar castiço todo empertigado
Cantava pra nós
"MUÉDA TERRA DA GUERRA
VOUTE CANTAR ESTE FADO
QUE COMPUS AINDA À POUCO
MUÉDA TERRA SAGRADA
DE ATAQUES À MORTEIRADA
QUE É DE UM HOMEM DAR EM LOUCO"
Fumando cigarros
Molhando a garganta
Findava a noitada
Mas pra alguns ainda
Dormir um pouquinho
Pois faltava pouco prá ronda marcada
E em certas noites
Escuras como breu
Que nada se via
Era arrepiante
Fazer o seu turno
E estar de vigia
Sabem todos vós
Que por lá passaram
Que isto acontecia
Era assim a vida
Lá longe em Muéda
De noite e de dia
...........
A todos os camaradas que lá tombaram aqui deixo todo o respeito e o meu sentido pesar.
Descansem em paz.
IMPOSSIVEL ESQUECER.


Voo 3475 MECÂNICO DIA.





Orlando Fernandes
Esp.MMA
Lisboa





Nesta quadra em que a idade não anseia por presentes, mas rumina a nostalgia de tantos natais bem e mal passados, recordo locais onde eu me encontrava somente comigo mesmo.

MECÂNICO DE DIA

Foram noites e noites guardando aviões
Sob um tecto metálico que estalava por contracções
E sempre que à ordem saía
A escala de mecânico de dia
O coração palpitava para enfrentar aflições
Animais e bichos que eu desconhecia
E a cobra perigosa que eu com pau perseguia
Se enroscou nos pedais do tractor que alguém conduzia.
Foram sustos e medos que todas as noites me apoquentaram
No hangar de Nacala onde de serviço me plantaram
De dia mecânico e à noite sentinela
Que do hangar vigiava de janela em janela.
Eu não sei meus amigos
Se o que sinto é orgulho ou gratidão
Mas sinto que aqueles rapazes
Eram Homens Nação
E se hoje recorda aquela provação
Que nos endureceu o carácter durante a missão
A qual eu canto e conto com toda a emoção
Com os amigos fundidos naquela Terra
Onde a dimensão humana
Foi superior à da Guerra.
Meus Amigos!.... Veteranos esquecidos
Tal como Vós hoje eu tenho a certeza
Que o nosso desempenho foi de grande nobreza
Meus Amigos, meus Amigos....
Disso eu tenho a certeza.
Orlando Fernandes


Voo 3474 BOAS FESTAS (4)

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif


Santos Oliveira
2ºSarg.Mil.Ranger
V.N.Gaia

Tempo de renascer, de Paz e

​prática de Amor fraterno.